Logo



Polaroids


















Menu

Diário de Viagem: minha aventura no Rock In Rio

"Se a vida começasse agora", eu já estaria bem feliz e já teria feito um montão de coisas legais! Como participar da festa de 30 anos do Rock In Rio!!!

Chegamos ao Rio de Janeiro na sexta-feira, 25, à tarde, depois de longas quase sete horas de busão (boatos que esse seria o dia mais quente do ano. Então, reflitam! Hahaha). Fomos para o Copacabana Palace... Mentira! Fomos para o nosso apê alugado, que era em Copa, mas não na Avenida Atlântica, deixamos nossas coisas e partimos rumo ao Botafogo Praia Shopping, para comprar nosso cartão especial que dava direito ao embarque em ônibus especiais para o RIR. Pois é. Como deixamos para a última hora, só havia sobrado o primeiro horário de saída, às 11h da manhã do dia seguinte, sábado, 26, penúltimo dia de festival - e o nosso escolhido - com Sam Smith, Lulu Santos, Rihanna e... Brothers os Brazil!

Confesso que fiquei bem feliz em chegar lá cedinho. Tivemos que esperar um pouco na fila, até os portões se abrirem, passar calor, sede e fazer xixi em banheiro químico (como é difícil ser mulher e fazer xixi em banheiro químico. Céus!). Mas, ei, o que são os festivais de música sem alguns perrengues, não é mesmo? Quando a entrada para o RIR foi liberada, fomos comprar algumas bebidas, dar um rolê básico e seguir em direção ao Palco Sunset, onde aconteceria o show da banda Brothers (sim, era a minha atração preferida do dia). E adivinhem????
Olar! Aquele ser ao lado dos fotógrafos, que estavam trabalhando, sou eu. Hahahahaha
GRADE! GRADE! GRADE! Viu só? Quem disse que eu não conseguiria assistir a um show desse lugarzinho privilegiado? Alô? Mãe? (risos) 
sendojulgadapelaamiga,gif 
Depois do show incrível e de conhecer um "migo" que tinha ido para ver o Supla também (muito amor!) e outro que tinha vindo do Recife para assistir ao show da Rihanna - mas estava ao meu lado na grade só para fazer umas aparições no Multishow -, fomos comer algumas coisinhas. "Inhas" mesmo! Fomos de lanche do Bob's. Os preços eram bem salgadinhos, como em qualquer show/festival. Comi um lanche natural de frango por R$ 13 e, à noite, uma batata frita por R$ 14. A água custava R$ 5.

Tiramos algumas fotos, já que ainda estávamos ok para isso (risos) - e já que o sol aproveitou para dar às caras, mesmo que só por alguns minutos. O dia estava nublado, mas não choveu. Uns pinguinhos no meio da tarde ameaçaram cair, mas a reza da minha amiga é forte e nada de chuva! o/
Fernanda (@feeelopes), minha companheira de aventuras maravilhosa, chuva de likes! 
Na sequência, assistimos aos shows do Lulu Santos (só hits e com a participação especial, e rápida, de MC Catra - uh, papai chegou!), do Sam Smith (amei muito esse aqui! Ele cantou Latch, uma das minhas músicas favoritas. O Sam é fofo e o show dele não tem nenhuma mega produção. Mas nem precisa! Que voz, minha gente!) e, é claro, da tão aguardada Rihanna (confesso que fiquei um pouco decepcionada. No começo, a Riri não estava botando a voz pra fora, e rolou muito corte nas músicas, o que me irrita um pouco. Mas, no final, já deu para escutá-la melhor. Deusa. Uma bela presença de palco. Só hits também, incluindo We Found Love e FourFiveSeconds, meus dois momentos favoritos da apresentação).
Uma frase que resuma bem a experiência? "Para que sem, se pode ser com MUITA emoção?". Saímos do apartamento, para pegar o ônibus do serviço Primeira Classe, às dez horas da manhã e só retornamos às cinco da madruga! Foi intenso, foi. Foi bonito, foi. Foi cansativo, foi. Já quero voltar... MORTA LINDA de saudade!

A minha amiga e eu fomos para a Cidade Maravilhosa, que é sempre maravilhosa, basicamente para o penúltimo dia do RIR 30 anos - e para tomar mate gelado (risos) -, mas é claro que aproveitamos o dia seguinte, pós-ressaca de festival, para vegetar na Praia do Leme (alô, Regina! Kd Murilo?). Quando vou para o Rio, costumo ficar em Ipanema (meu amor! <3), mas adorei o Leme. A praia é bem tranquila, mas o mar é beeeem agitado. Tomei várias caldos. Hahaha! Se você não é muito fã de água e não sabe nadar, só precisa tomar cuidado com isso. De resto, a praia é muito gostosinha.
Óbvio que andamos "do Leme ao Pontaaaaal" cantando a música do Tim Maia - e Money On My Mind, do Sam Smith, que não saiu da minha cabeça até agora. Desculpa, Fê! O dia estava nublado, então aproveitamos para caminhar na orla, tietar o Drummond, passear na Lagoa e comer alguma coisinha na Farme de Amoedo, uma das ruas de comércio, bares e restaurantes mais agitadas de Ipanema!
Quase superei minha fobia de estátuas. Sim, isso inclui estátuas de cera e manequins. Não me perguntem... Eu sei... Mas foi o máximo que consegui chegar perto do Drummond sem ter que encarar ele muito diretamente e ficar com aquela sensação estranha de que ele se moveria a qualquer instante. #NóiasDaIsa #ÉMuitoFilmeDeTerror
Na volta, viemos para São Paulo de avião. Foi sempre aqueeeela emoção, né? Mas aprendi um mantra maravilhoso no caminho do aeroporto - que estava um caos, por sinal. Quase perdemos o voo! -, que vou levar para a vida! <3


Resumo da viagem:
450 do Rio de Janeiro: check ✓
30 anos do Rock In Rio: check ✓
Assistir a um show na grade: check ✓
Tomar sorvete todo dia: check ✓
Mate gelado também: check ✓
Superar fobias estranhas: (quase) check ✓
Não dormir quase nadinha: check ✓
Começar bem as férias: check ✓




2 comentários:

  1. Adoreei o relato, Isa! Show é SEMPRE perrengue, ainda mais de festival: correria pra conciliar os horários dos shows, banheiro químico zoado, comida e bebida com preço nas alturas... mas é tão gostoso, né? E ainda poder dar rolê no Rio depois <3

    ResponderExcluir
  2. Adoreii o relato, você faz parecer que a gente ta viajando junto haha amei.

    Um cheiro!
    www.vinteetantos.com

    ResponderExcluir